Ameaças a escolas: Em reunião do GGI, município e polícias garantem rigor e punição

A segurança nas escolas de Tangará da Serra foi tema de reunião entre o poder público e o Gabinete de Gestão Integrada (GGI) na manhã de ontem (quarta, 12), na prefeitura municipal

13/04/2023 08:16:34
Enfoque Business

A segurança nas escolas de Tangará da Serra foi tema de reunião entre o poder público e o Gabinete de Gestão Integrada (GGI) na manhã de ontem (quarta, 12), na prefeitura municipal.

O encontro foi uma iniciativa do Executivo Municipal, com apoio da Câmara de Vereadores, e contou presenças de representantes das polícias Civil e Militar e do Corpo de Bombeiros.

O objetivo foi definir medidas para tranquilizar a sociedade local quanto a ameaças e possíveis ataques a escolas do município.

Segundo o prefeito Vander Masson (União), o município já conta com monitoramento de imagens dentro das unidades escolares. “Nossas escolas municipais possuem sistema de segurança. Todos os nossos centros municipais de ensino já são monitorados e estamos verificando e estudando outras medidas para melhorar e contamos com o apoio e o respaldo das forças das nossas polícias Civil e Militar”, afirmou o gestor.

Outra medida que foi discutida durante a reunião, é o uso de tecnologias que permitam estabelecer um maior controle no acesso de pessoas às escolas, como a proposta aprovada pela Câmara Municipal em sessão ordinária nesta terça-feira, 11, que prevê a instalação de portais com detectores de metais nas entradas das unidades municipais de ensino.

As medidas já incluem ações da Polícia Militar, que desde janeiro realiza um trabalho de patrulhamento escolar. “Nós da Polícia Militar fazemos visitas diariamente em pelo menos dezoito escolas municipais, estaduais e particulares. Estamos intensificando esse trabalho preventivo, com contato com os alunos, corpo docente, toda a comunidade acadêmica e, se porventura acontecer alguma situação, já estamos preparados com a parte repressiva”, afirmou o comandante do 19º Batalhão, Coronel PM Mauritti Campos.

A Polícia Civil, por sua vez, terá atuação em duas frentes. Segundo o delegado Adil Pinheiro, a corporação já atua na apuração de possíveis e reais ameaças e, também com a desinformação. “Estamos identificando pessoas que dolosamente disseminam notícias falsas com apologia ao crime, com punição prevista no Código Penal”, disse, destacando que as redes sociais permitem a identificação dos infratores. “Se enganam aqueles que pensam que a internet traz anonimato, pelo contrário, fica tudo registrado e não é possível mais apagar, pois o registro fica e a Polícia Civil está atuando para identificar quem de forma dolosa tenta trazer o pânico às nossas escolas e à nossa comunidade”, acrescentou.

Nos últimos dias o anúncio de um possível ataque a uma escola municipal foi desvendado, em pouco tempo, pelo setor de inteligência da Polícia Civil. “Quem tiver acesso a notícias de possíveis ataques, pelas redes sociais e grupos na internet, busque imediatamente a Polícia Civil”, reforçou o delegado.

Os canais de denúncias são os telefones 190 ou 197, com garantia de sigilo.


bemtv- sbt
Fonte: Enfoque Business



Outras Notícias Relacionadas